Confira dicas essenciais de como investir em fundos imobiliários

Confira dicas essenciais de como investir em fundos imobiliários

como investir em fundos imobiliários

Está em busca de uma solução rentável para otimizar os seus investimentos? Se a resposta foi “sim”, está na hora de descobrir como investir em fundos imobiliários. Atualmente, essa alternativa tem atraído — e muito — a atenção dos investidores, uma vez que apresenta custos mais baixos, especialmente quando o ativo é comparado aos investimentos em empreendimentos físicos.

Contudo, antes de tomar essa atitude, vale entender o que é e como funciona tal modalidade. Caso contrário, você correrá o risco de se perder ao longo do processo e, até mesmo, acabar saindo no prejuízo.

Pensando nisso, criamos este post completo. Aqui, será possível descobrir muito a respeito do tema, além de algumas dicas de ouro que farão total diferença nas suas ações daqui para frente. Acompanhe!

O que são fundos imobiliários?

Antes de tudo, responda com sinceridade: você sabe o que são fundos imobiliários, também conhecidos como FII? Em caso negativo, vamos explicar.

Criado em 1993, pela Lei 8.668, esse investimento é formado a partir da junção de diferentes investidores, que se unem com a intenção de investir uma verba em determinados empreendimentos. Hoje, o mercado brasileiro oferece essa possibilidade para quem deseja aplicar em imóveis, mas, sem que para isso seja preciso recorrer ao modelo de compra direta.

Outro ponto interessante, é que os fundos imobiliários são populares por facilitar o investimento entre aqueles que têm pouco capital disponível e, mesmo assim, desejam fazer um bom negócio. Para se ter ideia, há a possibilidade de encontrar fundos interessantes e que têm aportes menores a R$100.

Como funciona?

Assim que optar por investir em fundos imobiliários, o investidor precisará realizar a compra de cotas. Nesse caso, eles têm acesso a empreendimentos imobiliários diversos e que, em alguns casos, são considerados como “de primeira linha”. Destacamos os complexos empresariais, os shoppings centers, os hotéis, os loteamentos e outros espaços bastante atrativos.

Já na hora de receber o retorno dessa ação, esses indivíduos são remunerados conforme as suas participações na construção do projeto. Essa etapa pode ser realizada por meio da valorização de cotas, ou também, pelo chamado “dividendo mensal”, que consiste no rateio dos aluguéis adquiridos pelas unidades que formam o fundo.

Quais as vantagens dessa modalidade?

Nos últimos anos, investir em fundos imobiliários se tornou um verdadeiro atrativo para muitos investidores — tanto os “marinheiros de primeira viagem”, quanto aqueles já especialistas no ramo. O motivo para tamanho sucesso? Veja abaixo:

  • Os fundos imobiliários são acessíveis e podem ser adotados por variados perfis;
  • É um investimento que apresenta a possibilidade de transações financeiras — tal característica serve para evitar complicações futuras, como aquelas relacionadas às certidões ou escrituras;
  • Essa solução garante mais transparência para todas as operações imobiliárias (ela ainda conta com uma seleção de empreendimentos previamente selecionados por profissionais especializados no mercado).

Como investir em fundos imobiliários?

Após conhecer os diferenciais dessa modalidade de investimento, chegou o momento em que ensinaremos você como investir em fundos imobiliários. Já adiantamos: a princípio, pode até parecer difícil, mas essa prática é mais simples que aparenta. Vamos lá!

Escolha uma corretora de confiança

Para começar, é necessário contar com a ajuda de uma corretora de valores especializada neste nicho e que, principalmente, seja de sua confiança. Opte por uma empresa que proporcione outros benefícios, como simulador de investimentos e uma carteira exclusiva de Fundos Imobiliários.

As opções que funcionam de modo 100% digital costumam ser as mais práticas e acessíveis, uma vez que são menos burocráticas e têm um atendimento personalizado.

Identifique o fundo imobiliário que se encaixa em seu perfil

No mercado brasileiro, há cinco opções diferentes, que apresentam riscos, estratégias e características distintas. São elas:

  • Fundos de Renda;
  • Fundos de Compra e Venda;
  • Fundos de Desenvolvimento;
  • Fundos de Recebíveis;
  • Fundos de Fundos.

Faça simulações

Por último, considere realizar simulações dos resultados de diferentes fundos imobiliários. Com esse cuidado, realizado por muitos entendedores do assunto, ficará mais simples identificar a opção que oferece maior rentabilidade, sem que, para isso, seja preciso aplicar o seu dinheiro e ter esse conhecimento, na prática.

Não esqueça: é muito importante saber como investir em fundos imobiliários para garantir o sucesso com esse ativo. Por isso, siga todos esses conselhos e, se possível, conte sempre com o apoio de profissionais capacitados para auxiliá-lo durante os momentos de dúvida.

E então, o que achou das nossas dicas sobre como investir em fundos imobiliários? Acredita que, após a leitura, ficará mais simples tomar esse tipo de decisão e garantir bons lucros no futuro? Estamos na torcida!

Caso queira continuar acompanhando outras informações relevantes sobre esse segmento do mercado, não perca tempo e siga agora mesmo a Velo no Instagram!

Compartilhe esse conteúdo
Leia também:
consumidor 4.0
Negócios
Consumidor 4.0: conheça as estratégias para a imobiliária se comunicar com ele

Aprender a ouvir as necessidades, ter diferentes canais de vendas, integrar o online e offline e estar presente nas redes sociais são algumas maneiras de se comunicar com o consumidor 4.0. Saiba tudo sobre o assunto aqui!

LER MAIS >
código de ética do corretor de imóveis
Mercado imobiliário
Conheça os principais pontos do código de ética do corretor de imóveis

Responsabilidade penal e civil, relacionamento com o cliente e condutas irregulares são alguns pontos que devem ser observados no código de ética do corretor de imóveis. Saiba mais!

LER MAIS >
ciclos do mercado imobiliário
Mercado imobiliário
Conheça os 4 ciclos do mercado imobiliário e invista melhor!

Expansão, excesso de oferta, recessão e recuperação são considerados os quatro ciclos do mercado imobiliário. Quer entender tudo sobre eles? Confira aqui!

LER MAIS >