Como fazer análise de crédito? Entenda aqui!

Como fazer análise de crédito? Entenda aqui!

como fazer análise de crédito

Todos gostam de realizar negócios com pessoas que conhecem, pois isso gera um sentimento de segurança e confiança. No entanto, as empresas não podem se dar ao luxo de negociar somente com aqueles que já têm um histórico de relacionamento. Pelo contrário, é preciso aumentar constantemente a base de clientes. Entendendo como fazer análise de crédito, a imobiliária fecha novas vendas sem medo.

Como assim? Neste artigo, explicaremos o que é uma análise de crédito. Mostraremos também como realizá-la e por que é uma ferramenta que aumenta a confiança da empresa em relação aos novos clientes. Acompanhe os próximos tópicos!

Leia também: entenda como é feita a análise de crédito da Velo e por que contar com ela

O que é uma análise de crédito?

Em termos simples, a análise de crédito é composta por uma série de procedimentos que identificam o grau de risco na concessão de capital a uma determinada pessoa física ou jurídica. Por meio de uma verificação dos dados do cliente, a empresa entende o perfil dele e mensura o nível de confiança em uma possível negociação.

Trazendo esse processo para o mercado imobiliário, notamos que é uma ferramenta fundamental para minimizar problemas na relação locatícia. Uma vez que torna possível reconhecer aqueles que não cumprem com suas obrigações financeiras, portanto, poderiam elevar a taxa de inadimplência da empresa.

Além disso, a análise de crédito confere maior segurança para a imobiliária na hora de uma negociação. Dessa forma, o fechamento do contrato ocorre com maior rapidez. Com uma base de clientes comprovadamente confiável, a empresa pode tomar decisões importantes, como a concessão de benefícios ou a ampliação dos serviços disponibilizados.

Como fazer análise de crédito com eficiência?

A dúvida de muitos gestores é como fazer a análise de crédito. Para ter sucesso nessa prática, a imobiliária precisa criar mecanismos que facilitem o reconhecimento do perfil de um possível cliente. Fazendo, assim, um filtro eficaz contra a elevação da inadimplência. A seguir, mostraremos meios inteligentes para identificar o nível de confiança de crédito em uma negociação. Confira!

1. Utilize o Business Intelligence

O Business Intelligence (BI) é um conjunto de metodologias que visa a coleta, organização, análise e o monitoramento de dados. Com ele, as empresas tomam boas decisões em relação a investimentos e fechamento de negócios. Visto ser um conceito e não uma ferramenta, o BI depende de um software robusto para entregar todo o seu potencial.

Porém, o “manejo” das fases (coleta, organização, análise e monitoramento) é feito pela imobiliária por meio de métodos preditivos. Por exemplo, com as informações vindas do software BI, os gestores da imobiliária medem o risco de crédito com base em uma pontuação preestabelecida. Dessa forma, fica clara a decisão de fechar ou não um determinado negócio.

2. Implemente a automação

Seguindo a linha da tecnologia, a adoção de plataformas virtuais otimiza a análise de crédito. No tópico anterior, mostramos como os gestores podem configurar e implantar o BI, mas essa tarefa não é sempre necessária. Afinal, quando uma aplicação já realiza todo esse trabalho com eficiência, a imobiliária fica isenta dele.

Atualmente, existem as plataformas de locação de imóveis. Entre outras funcionalidades, essas aplicações realizam todo o processo de análise de crédito, entregando para as empresas aqueles clientes que têm um histórico de pagamento confiável. Para reforçar esse índice de confiança, a organização detentora do software entra como garantia locatícia, ou seja, um fiador online. Sem dúvidas, a automação é uma aliada das imobiliárias.

3. Exija informações importantes

Outra boa prática da análise de crédito é o conhecimento de dados importantes sobre o cliente. Por exemplo:

  • Documento com foto e o CPF;
  • Comprovante de residência em nome do cliente e expedido nos últimos três meses;
  • Telefone para contato;
  • Na ausência de um software que faça a busca, o holerite ou comprovante de renda (contracheque, declaração do imposto de renda ou extrato bancário).

Em seguida, a imobiliária consulta a situação cadastral do futuro cliente no sistema de dados do Serviço de Proteção ao crédito (SPC), Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) e na Centralização de Serviços Bancários (Serasa). Frequentemente, a empresa atualizará os dados cadastrais do cliente, visto que as circunstâncias pessoais mudam.

Além de solicitar novamente a documentação citada, pode-se realizar também a investigação nos órgãos de proteção ao crédito. Dessa forma, em uma futura renovação de contrato, a imobiliária decidirá se vale a pena manter o acordo. Se o perfil do cliente estiver positivo, a empresa talvez decida oferecer a ele benefícios que o fidelize.

4. Considere o histórico

Como dito, o histórico do cliente fica exposto nos órgãos de proteção ao crédito. No entanto, o ideal seria a análise dos últimos dois anos. Visto que uma verificação muito longa pode revelar uma oscilação no comportamento do consumidor — o que é normal. Sendo assim, o último biênio já demonstra para a imobiliária se o cliente é um pagador ruim, bom ou muito bom.

Quais são os benefícios de uma parceria especializada?

Anteriormente, falamos um pouco sobre empresas que oferecem plataformas para locação imobiliária. Com certeza, ter uma parceira com uma instituição especializada é uma excelente estratégia para as imobiliárias. Além de otimizar todo o processo do aluguel, que vai desde a análise de crédito até a assinatura do contrato, os serviços incluem:

  • Assessoria jurídica;
  • Cobranças;
  • Garantia de pagamento;
  • Segurança e praticidade das transações;
  • Aplicativos que facilitam as locações;
  • Painéis de gestão.

Com toda essa gama de serviços, a imobiliária atrai e fideliza um número cada vez maior de clientes. Sem contar que automatiza processos importantes, deixando os gestores livres para focar nas estratégias comerciais da empresa. Podemos apontar outros benefícios dessa parceria, como a desburocratização e a inovação.

Essas duas vantagens são muito procuradas pelos consumidores modernos, que estão acostumados com as facilidades vindas da tecnologia. O resultado disso é o fortalecimento do negócio no mercado imobiliário.

Enfim, a análise de crédito é como um “airbag” que protege a imobiliária de prejuízos financeiros. Ao mesmo tempo, é a “chave” que abre ou fecha a porta de entrada da empresa. Sendo assim, o sucesso do negócio está intimamente ligado à eficiência desse importante processo.

O que achou do nosso artigo? Entendeu como fazer análise de crédito na sua imobiliária? Deseja automatizar esse e outros processos? Então, entre em contato com os especialistas da Velo e deixe a gente cuidar da sua gestão locatícia!

Compartilhe esse conteúdo
Leia também:
Infográfico
[Infográfico] Diferença entre fiança, seguro fiança e caução
LER MAIS >
Materiais Educativos
[Semana de webinars] Especial Dia do Corretor
LER MAIS >
tecnologia imobiliária
Tecnologia
Tecnologia a favor da imobiliária: saiba por que apostar nisso

Agilidade, menos gastos, mais lucros e mais segurança de mercado são algumas das justificativas para você investir na tecnologia imobiliária. Confira tudo sobre o assunto aqui!

LER MAIS >